quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Ator de stand up comedy, Gigante Leo lança ‘O Grande Livro dos Anões’

Você sabe como anão faz sexo? E quais são as melhores atividades profissionais para os anões? Quais são as músicas que tiram um barato da cara dos anões? Essas e outras tantas perguntas são respondidas no livro “O Grande Livro dos Anões” (Editora Matrix), que o ator de stand up comedy Gigante Leo (www.giganteleo.com.br) acaba de lançar. A obra conta tudo o que você, leitor, queria saber sobre os anões, mas não tinha a quem perguntar.

Com 1,10m de estatura, Gigante Leo escreveu o livro com o intuito de mostrar, de forma bem humorada, que existem outras possibilidades de se fazer humor sobre anões, que não necessariamente precisem passar por chavões pré-estabelecidos. É possível ser baixinho e fazer humor, sem ter que ser comédia pastelão. “Para a minha grata surpresa, percebi que existem mais variedades de fazer humor com o universo dos anões, que é extremamente rico e vasto e tentei pôr no livro todas estas questões num olhar bem-humorado”, conta o autor do livro.

No prefácio, o humorista Marcius Melhem não economiza elogios ao talento e carisma de Gigante Leo: “O jeito com que fala do seu dia a dia, dos percalços da vida de anão, não desperta deboche, pelo contrário, mostra o ridículo das pessoas ‘normais’ ao enxergar o que lhes é diferente. Leo deu a volta em nós todos”.

Conhecido como Gigante Leo, Leonardo Reis fez sua estreia no stand-up comedy em 2010, no grupo Comédia Carioca. Em 2011, ganhou projeção nacional ao ser o vencedor da regional Sudeste II e o vice-campeão geral do 1º Campeonato Brasileiro de Stand-up Comedy, promovido pelo festival Risadaria, maior evento do humor da América Latina.  
                                                                                                                                                  
Gigante Leo: ator e escritor    
Gigante Leo já dividiu o palco com humoristas consagrados, como Leandro Hassum, no espetáculo Lente de Aumento, e com Sérgio Mallandro. Também se apresentou em diversos shows no Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Curitiba. Em 2011, Gigante Leo participou da gravação do DVD do humorista Mauricio Manfrini, conhecido pelo personagem “Paulinho Gogó” do programa “A Praça é Nossa”, e ficou em cartaz com o espetáculo de humor “Comédia Carioca”, como convidado fixo, no Shopping da Gávea.

Na TV Globo, Gigante Leo já participou do Domingão do Faustão, Programa do Jô e fez várias participações no programa "Os Caras de Pau" da TV Globo. Também se apresentou no programa "A Praça é Nossa", do SBT, e no quadro "Maratona do Humor", no programa "Tudo é Possível", da TV Record.

O autor deste livro pode ser pequeno no tamanho, mas é gigante na arte de fazer rir.
                                                             Foto: Paulo Roberto Lopes / Divulgação 

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Nesta quarta, Jaguar fala sobre Sérgio Porto, na Biblioteca Nacional

O cartunista Jaguar é a atração na Biblioteca Nacional
Na última edição de 2011 do Quarta às Quatro, o cartunista Jaguar falará sobre o jornalista, amigo e ex-chefe Sérgio Porto, criador do consagrado alter-ego Stanislaw Ponte Preta. Suas crônicas fizeram sucesso, assim como as Certinhas do Lalau e tantas outras invenções do humorista homenageado.

Sérgio Porto
O evento, com entrada franca, acontece nesta quarta-feira (14), na Biblioteca Nacional e traz o tema De João do Rio a Drummond, a crônica da cidade. No Auditório Machado de Assis, Biblioteca Nacional (Rua México, s/ nº - Centro – Rio de Janeiro-RJ), às 16h.

Concebido por Vitor Iorio, jornalista e professor da UFRJ, o Quarta às Quatro é um programa de palestras semanais, realizado sempre às quartas-feiras, às 16 horas, no Auditório Machado de Assis, na Biblioteca Nacional. O evento tem contado com a presença não só de pesquisadores e jornalistas como também de muitos estudantes universitários e alunos do Ensino Médio.

Em 2009 e 2010, graças a uma parceria com a Secretaria Estadual de Educação, o programa foi assistido por cerca sete mil alunos e 300 professores de escolas públicas do Estado. Turmas do Ensino Médio de escolas particulares também participam dos encontros semanais.

O é transmitido on line pelo Instituto Embratel através do site www.institutoembratel.com.br.

Quarta às Quatro: Sério Porto por Jaguar
Auditório Machado de Assis, Biblioteca Nacional
Rua México, s/ nº - Centro – Rio de Janeiro - RJ
Entrada franca

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Câmara Brasileira do Livro comemora ano de realizações com festa na Cinemateca Brasileira


Uma semana após organizar a cerimônia do 53º Prêmio Jabuti, que reuniu mais de 1.200 pessoas na Sala São Paulo, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) realizou , na última quarta-feira (7), um jantar de confraternização para editores e livreiros com o objetivo de comemorar as realizações da entidade no ano que chega ao fim.

A começar pelo espaço reservado para o encontro, a Cinemateca Brasileira, em São Paulo, praticamente tudo na festa de fim de ano da CBL foi diferente na comparação com os anos anteriores. Além do coquetel e de um jantar descontraído, sem mesas fixas para que todos pudessem interagir, o evento contou com uma intervenção do grupo vocal Cantos de Todo Canto e uma apresentação do cantor e habitué da noite paulistana Tony Gordon.

“No ano em que a CBL completa 65 anos, queremos que nossa gestão tenha a marca da inovação”, explicou a presidente da CBL, Karine Pansa. Em vídeo endereçado aos associados e convidados, a dirigente enumerou o trabalho da atual gestão ao longo de 2011, com destaque para a participação em feiras de livros de todo o Brasil, a parceria com a APEX-Brasil no Projeto Brazilian Publishers e a presença da CBL nos principais eventos internacionais.
           
“Temos interagido de modo muito construtivo com todas as entidades do livro e de sua grande cadeia produtiva, assim como o setor público, numa grande e sinérgica corrente a favor da democratização da leitura”, disse Karine em discurso após a apresentação do vídeo.

Apesar das mudanças de formato, a festa de confraternização manteve algumas características tradicionais dos eventos de fim de ano da CBL. Nesse contexto, foram homenageados seis funcionários quecompletaram, em 2011, vinte e cinco ou cinquenta anos de atividades dedicadas ao livro.

Mas o maior homenageado da noite foi diretor regional do SESC São Paulo, Danilo Santos de Miranda, que recebeu o título de “Amigo do Livro 2011. A condecoração é dedicada anualmente pela CBL a personalidades que, de alguma forma, contribuíram para a valorização do hábito da leitura.

“O segmento editorial reconhece os esforços do SESC em prol da democratização do acesso à cultura. Acreditamos que o incentivo à leitura passa também pela interação com as diferentes manifestações artísticas. A escolha do Danilo reflete esse entendimento”, destacou Karine.

Participação de sobrevivente do Holocausto emociona público em palestra de Mônica Bernardes


Aleksander Laks e Mônica Bernardes durante a palestra
Aleksander Laks, presidente da Associação Brasileira dos Israelitas Sobreviventes da Perseguição Nazista - Sherit Hapleita, esteve no Rio de Janeiro, onde participou, como convidado especial, da palestra que a jornalista Mônica Bernardes, autora do livro Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação, escrito em parceria com Mauro Tertuliano.

Aleksander é sobrevivente do Holocausto e considerado o personagem mais forte pelos autores do livro. No evento, realizado na Livraria Cultura do São Conrado Fashion Mall, o público se emocionou com o testemunho de sua trajetória de sofrimento, superação e solidariedade.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

7Letras faz lançamento em conjunto de três livros neste sábado na Estação das Letras, no Flamengo


A Editora 7Letras realiza lançamento em conjunto dos livros Diorama, do poeta e jornalista Álvaro Miranda; Cristal Rutilado, de Vania Azamor; e O Infinito não olha, de Mércia Menezes. Será neste sábado, dia 3, das 15 às 20h, na Estação das Letras, na Rua Marquês de Abrantes, 177, pertinho da estação Flamengo do metrô.

Estarei na fila de autógrafos do meu amigo Álvaro Miranda, que nasceu em São Paulo, mas já vive no Rio há mais de 25 anos e pode ser considerado um ‘carioca da gema’. 

Formado em jornalismo pela USP, Álvaro trabalhou como repórter em jornais cariocas, como O Dia, e atualmente atua em consultoria e assessoria de imprensa. Publicou em 2003, com o grupo de poetas Letra Itinerante, o livro Retrato do soneto quando pólen.

Ferreira Gullar e Laurentino Gomes recebem o prêmio máximo do 53º Prêmio Jabuti


Em cerimônia em São Paulo, autores foram condecorados, respectivamente, com os livros do ano Ficção e Não Ficção

O poeta Ferreira Gullar e o jornalista Laurentino Gomes receberam, em cerimônia realizada na noite da última quarta-feira, em São Paulo, as principais condecorações da 53ª edição do Prêmio Jabuti. A obra Em alguma parte alguma (José Olympio), de Gullar, sagrou-se como Livro do Ano Ficção, enquanto 1822 (Nova Fronteira), de Laurentino, foi o grande vencedor da categoria Livro do Ano Não Ficção.

Karine Pansa, presidene da CBL, entre Laurentino Gomes e Ferreira Gullar (Divulgação)
Pedro Bial, mestre de cerimônias, conduziu a premiação ao lado de Karine Pansa, presidente da CBL, e José Luiz Goldfarb, curador do prêmio. A festa contou com a presença de 1,2 mil convidados, maior público de toda a história do Jabuti.

Durante a cerimônia, realizada na Sala São Paulo, os vencedores das 29 categorias que compõem o prêmio, assim como os segundos e terceiros colocados em cada uma delas, também receberam suas estatuetas. Ao contrário dos Livro do Ano Ficção e Livro do Ano Não Ficção, todos já eram conhecidos desde meados de outubro, quando a CBL realizou a apuração da premiação.

Diferentemente das edições anteriores, quando segundos e terceiros colocados podiam ser laureados com o Jabuti de Livro do Ano, neste ano apenas primeiros colocados concorreram ao prêmio máximo da noite. O autor do Livro do Ano Ficção foi escolhido entre as obras premiadas nas categorias: “Romance”, “Contos e Crônicas”, “Poesia”, “Infantil” e “Juvenil”.

Para o Livro do Ano Não Ficção, participaram os vencedores nas categorias: “Teoria/Crítica Literária”, “Reportagem”, “Ciências Exatas”, “Tecnologia e Informática”, “Economia, Administração e Negócios”, “Direito”, “Biografia”, “Ciências Naturais”, “Ciências da Saúde”, “Ciências Humanas”, “Didático e Paradidático”, “Educação”, “Psicologia e Psicanálise”, “Arquitetura e Urbanismo”, “Fotografia”, “Comunicação”, “Artes”, “Turismo e Hotelaria” e “Gastronomia”.

Discursos

A cerimônia foi apresentada pelo jornalista Pedro Bial, e contou com discursos da presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Karine Pansa, e do curador do Prêmio Jabuti, José Luiz Goldfarb. Karine destacou a contribuição da CBL, ao longo dos seus 65 anos de existência, para o crescente fortalecimento do setor editorial brasileiro. “O Prêmio Jabuti é um exemplo marcante desse esforço, pois funciona como vitrine para a produção de nosso mercado, de imenso alcance, visibilidade e credibilidade”, disse.

Remetendo-se aos fundadores do Jabuti, Goldfarb lembrou da importância do prêmio para que a “produção editorial nacional pudesse tornar-se conhecida a um público cada vez maior”. “É isso o que estamos realizando nesta noite. Os fortes holofotes da Sala São Paulo vão agora focar autores e editores que no ano de 2010 produziram inéditas preciosidades em ficção e não ficção! Que estas pérolas possam chegar aos olhos de todos os brasileiros, finalmente, num Brasil de leitores”, anotou.

Os vencedores dos prêmios de Livro do Ano também  discursaram. Laurentino foi o primeiro a falar, e agradeceu aos colegas empenhados na elaboração de narrativas históricas:  “É com senso de missão de contribuir para a educação e para a transmissão de conhecimento que recebo esse prêmio. Nesse ambiente de construção de conhecimento, a história é chamada para essa missão. Faço uma homenagem a todos os historiadores brasileiros, que são a fonte em que bebo”, disse.

Gullar optou por uma fala breve, mas repleta de significado: Não sei se poesia é literatura. Mas a gente faz poesia porque a vida não basta.”

domingo, 27 de novembro de 2011

Mônica Bernardes faz palestra sobre ‘Sou Feliz, Acredite!’, e recebe um personagem do livro, sobrevivente do Holocausto


Autora do livro Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação, em parceria com Mauro Tertuliano, a jornalista Mônica Bernardes faz palestra sobre a obra nesta segunda-feira (28/11), às 19h, na Livraria Cultura do São Conrado Fashion Mall (Estrada da Gávea, 899, São Conrado). A noite promete muitas emoções, pois Mônica vai receber um convidado especial: Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto, considerado o personagem mais forte pelos autores do livro. 

Aleksander é Presidente da Associação Brasileira dos Israelitas Sobreviventes da Perseguição Nazista - Sherit Hapleita - e vai dar um testemunho de sua trajetória de sofrimento, superação e solidariedade. Ele faz palestras pelo mundo inteiro contra a intolerância e foi convidado para brindar o público do Rio de Janeiro com sua presença. O livro tem o selo da Editora BestSeller.

Bate-papo com Sergio Farias sobre seu livro 'John Lennon – Vida e Obra'


Os leitores cariocas, em especial os fãs de John Lennon, poderão participar de um bate-papo descontraído com o escritor Sergio Farias sobre seu novo livro, John Lennon – Vida e Obra, que lança um olhar diferenciado sobre o Beatle mais polêmico do grupo musical. Será na Livraria do Café, no Shopping da Gávea (Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea), a partir das 19h desta segunda-feira (28/11).

A obra, lançada pela Litteris Editora, é o que existe de mais atual e emblemático na história deste mito, uma biografia onde podemos encontrar não só os fatos polêmicos, mas curiosidades, verdadeiras citações sobre raridades fonográficas, a própria contextualização política daquela época e, ainda, a influência que até hoje os Beatles e John Lennon exercem na nossa música.

Vários títulos chegaram recentemente ao mercado editorial


Livro revela detalhes do show de Roberto Carlos em Jerusalém

Um show em Jerusalém – O Rei na Terra Santa, lançamento da Globo Livros, conta os detalhes do show histórico, desde a sua concepção até os menores detalhes de sua produção. Quem escreve é Léa Penteado, jornalista que trabalha há muitos anos com o empresário do cantor, Dody Sirena. Ela foi uma das primeiras interlocutoras quando Roberto Carlos teve a ideia de apresentar-s em Israel, logo após uma viagem que fez para Jerusalém. Do primeiro sim do cantor à participação da TV Globo, passando por todas as dificuldades de se produzir um evento deste porte para milhares de pessoas em um país tão distante, com hábitos tão diferentes. O livro é ilustrado com fotos inéditas de Cláudia Schembri, profissional que acompanha Roberto Carlos desde 2006, e traz também uma rara entrevista de Roberto Carlos, onde ele abre sua vida para um jornalista israelense.

Padre Antonio Maria lança ‘Pescadores de corações’

Padre Antonio Maria, um dos sacerdotes mais amados e conhecidos do Brasil, com seu jeito simples e humilde, acaba de lançar “Pescadores de corações”, com o selo da Editora Universo dos Livros. O livro traz os relatos intensos e emocionantes que marcaram a trajetória do padre Antonio Maria. De sua juventude, passando pelas provações e pelo momento em que se decidiu pela vida religiosa, até os dias atuais, a obra mostra como ele e outros “pescadores” (como Frei Damião, Irmã Dulce e o Papa João Paulo II – com os quais conviveu de perto) superaram cada obstáculo para cumprir sua vocação.

O Padre que queria ser cantor aliou seu interesse em disseminar a palavra da Igreja Católica a um senso artístico aguçado. Desta forma, tornou-se um padre-cantor e foi eleito o guia espiritual de muitos artistas e celebridades ao longo dos seus 50 anos de entrada para o seminário, como Roberto Carlos, Christiane Torloni, Leonardo, Daniel, Fafá de Belém, entre outros. 


Alienígenas, mundos paralelos e aventura no livro ‘2012’

O que vai acontecer em dezembro de 2012? Segundo a profecia maia, o dia 21 desse mês marca o fim de uma era – pelo menos da forma como a conhecemos. A cada 26 mil anos, a Terra se alinha ao centro da galáxia. Na última vez que isso ocorreu, diz-se que os homens começaram a criar arte nas cavernas no sul da França. E em nosso tempo, qual será o significado desse alinhamento? Como ele vai interferir na realidade do cotidiano? O que vai acontecer quando esses dois mundos se encontrarem e a data fatídica de dezembro se aproximar?

O livro 2012 – A guerra pelas almas, lançado pela Editora Planeta, do americano Whitley Strieber, trata do assunto em forma de uma fascinante ficção. Dois mundos – e duas histórias – correm em paralelo. O arqueólogo Martin Winters está entusiasmado com a possibilidade de comprovar uma nova teoria, quando tenta determinar a idade de uma pirâmide. Enquanto isso, em um universo paralelo, o escritor Wylie Dale, que trabalha em um novo livro, está na pirâmide de Quéops procurando respostas quando a antiga construção começa a ruir. Subitamente, vários locais famosos do mundo são destruídos. E o pior ainda está por vir: alienígenas iniciam um ataque aos humanos, retirando a alma das pessoas, mas mantendo o corpo vivo, para servirem como escravos.

Grão Editora lança livro sobre a Congada de Ilhabela

Ex-moradora da ilha, a fotógrafa Maristela Colucci passou anos registrando a festa de São Benedito. O conjunto de imagens inspirou o escritor José Santos a criar uma narrativa para acompanhá-las, nascendo assim Os meninos da Congada na festa de São Benedito de Ilhabela. O livro, com o selo da Grão Editora,  traz uma faceta menos conhecida da produção dessa paulistana inquieta, que também se dedica ao design gráfico e às atividades editoriais (com sua amiga de infância Renata Borges, diretora editorial da Peirópolis, ela fundou a Grão Editora, pela qual publicou Sub – viagem ao Brasil submarino e O mar é minha terra, livro de memórias de Pandiani). Agora ela apresenta o registro de manifestações folclóricas de um lugar que lhe é caro: a Ilhabela, onde viveu alguns anos.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Paulo Sérgio Valle autografa hoje (21) o livro ‘O homem que venceu Getúlio Vargas’


A Litteris Editora convida para o lançamento, hoje (21), do livro O homem que venceu Getulio Vargas – Uma batalha política, um acerto de contas’, escrito pelo compositor Paulo Sérgio Valle. Será a partir das 19h, na Livraria do Café, no Shopping da Gávea (Rua Marquês de São Vicente, 52).

Na obra, Paulo Sérgio conta a história de seu avô, Eurico Freitas Valle, que foi ‘presidente’ do Pará (era dessa forma que os governadores eram chamados antes da Revolução de 30). Assim, uma parte da história do nosso País volta à tona, revisitada, de forma a esclarecer detalhes que o tempo e os ditames da política se incumbiram de apagar.

O homem que venceu Getulio Vargas’ é um livro cujo personagem central vivencia uma verdadeira batalha entre sonhos e ideais, verdades e mentiras. Um acerto de contas que coloca a história novamente no seu rumo, sem temer o passado, sem subestimar os verdadeiros homens que autenticaram a política nacional.

O Brasil com certeza vai reaver, através destas páginas, um lapso da sua história, devolvendo ao homem que venceu Getulio Vargas o seu merecido lugar.     

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Manual de Redação da CBN será lançado nesta terça-feira, na Livraria Travessa Centro


O livro Manual de Redação da CBN, organizado por Mariza Tavares e selo da Editora Globo, será lançado nesta terça-feira, dia 8, às 18h, na Livraria da Travessa Centro, na Rua Sete de Setembro, 54, Centro, Rio de Janeiro. Além da tradicional sessão de autógrafos, haverá palestra com Mariza Tavares (diretora executiva da CBN), Álvaro Oliveira Filho (gerente executivo da CBN) e Júlio Lubianco (chefe de reportagem).


Criada em 1991, a CBN completou 20 anos em outubro e lança seu primeiro manual de redação com a proposta de uma abordagem diferente: o livro não apresenta a Central Brasileira de Notícias apenas como rádio, mas como uma plataforma multimídia – e que pretende ampliar cada vez mais seu espaço na internet. 

Os capítulos do Manual de redação CBN vão da estrutura da emissora, com os cargos e as funções desempenhados por seus profissionais, às orientações para as entradas ao vivo e a ancoragem; da elaboração de séries e utilização de trilhas e vinhetas às normas de padronização do texto radiofônico. Dois capítulos são integralmente dedicados à internet: o primeiro, sobre interatividade e mídias sociais; o segundo, sobre edição para o site, incluindo a avaliação dos conteúdos colaborativos de internautas. 

Questões éticas que envolvem a conduta dos jornalistas também estão contempladas no livro, que traz ainda três anexos com explicações sobre termos jurídicos, políticos e econômicos.

Para Eugênio Bucci, professor da ECA-USP e ESPM e que assina a apresentação, “o manual contém o legado, a história e os valores da CBN. Aqui estão, também, os padrões de desempenho que ela pretende seguir, em atendimento às necessidades e aos direitos de sua audiência. Ao afirmar esses valores, e ao fixar procedimentos obrigatórios, tanto formais como de comportamento, não deixa de ser um ‘contrato’ com todos os ouvintes. Aqui está aquilo que a CBN se compromete a oferecer, com um bom nível de detalhes. Se ela faltar com seus compromissos, o ouvinte poderá reclamar. Não é pouca coisa”. 
Mariza Tavares

O objetivo do manual, além de servir como referência para seus próprios jornalistas, é mostrar a estudantes, professores e profissionais da área de comunicação – e até aos ouvintes e internautas – a engrenagem e os bastidores da CBN. Como escreve a diretora executiva, Mariza Tavares, na introdução da obra, “o jornalismo da CBN não é imune ao erro, mas busca incessantemente isenção, acurácia, apartidarismo e pluralidade”.

sábado, 29 de outubro de 2011

Café Literário sobre "Sou Feliz, Acredite" levou grande número de leitores à Livraria Saraiva do Botafogo Praia Shopping


O público prestigiou o Café Literário


Foi um sucesso o Café Literário apresentado na noite de ontem (28), na Livraria Saraiva do Botafogo Praia Shopping, pelos jornalistas Mônica Bernardes e Mauro Tertuliano, autores livro "Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação", um dos indicados ao Prêmio Jabuti 2011. 

 Mauro Tertuliano, dona Dayse Agra e Monica Bernardes
O público lotou o espaço e foi brindado com momentos de pura emoção durante a palestra. Monica e Mauro contaram como foi escolher as 13 histórias de superação citadas no livro. Casos de pessoas que passaram por situações dramáticas, souberam enfrentar as adversidades e passaram a ajudar outras pessoas através de palestras, doações ou trabalhos sociais em instituições.

O bate-papo com os leitores foi enriquecido com a presença de dona Dayse Agra, uma das personagens de "Sou Feliz, Acredite!”, que perdeu um filho vítima da AIDS e deixou de ser uma dona de casa conservadora para fazer palestras de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis no Grupo pela Vidda, de auxílio aos portadores do HIV. Um verdadeiro exemplo de vida, cuja experiência emocionou a todos.

Tânia Batista, Monica Bernardes, Luciano Dias e Mauro Tertuliano
Monica Bernardes com os pais - Nilson e Sueli - e o marido, Carlos Alberto Vieira, o Beto



Hoje é o Dia Nacional do Livro. Para comemorar, leia!


Comemora-se hoje, 29 de outubro, o DIA NACIONAL DO LIVRO. Parabéns a todos os que trabalham com este maravilhoso produto, seja de que forma for. 
Parabéns especial a quem faz do Incentivo à leitura uma missão diária.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Bate-papo com os autores de "Sou Feliz, Acredite!" acontece nesta sexta-feira, na Saraiva do Botafogo Praia Shopping


Os jornalistas Mônica Bernardes e Mauro Tertuliano, autores livro "Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação", com o selo da Editora Best Seller, estarão nesta sexta-feira (28), partir das 19h, na Livraria Saraiva MegaStore do Botafogo Praia Shopping (Praia de Botafogo, 400/3º piso), para um animado bate-papo com os leitores.

No livro, os autores, que trabalham como editores na TV Globo, narram 13 histórias de superação. São casos de pessoas que passaram por situações dramáticas, souberam enfrentar as adversidades e passaram a ajudar outras pessoas através de palestras, doações ou trabalhos sociais em instituições. Todas têm em comum o fato de, apesar do sofrimento, demonstrar alegria de viver.

Morre Luiz Mendes, "o comentarista da palavra fácil", autor e personagem de diversos livros


Morreu na manhã desta quinta-feira o radialista e comentarista esportivo Luiz Mendes, o comentarista da palavra fácil, da Rádio Globo. Ele tinha 87 anos e estava internado no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde deu entrada com um quadro de infecção urinária e complicações decorrentes da diabetes.

Luiz Mendes foi um craque do microfone esportivo. Na 'latinha', foi testemunha dos mais importantes eventos esportivos do Brasil e do mundo em mais de 70 anos de profissão - o único brasileiro a transmitir a final da Copa do Mundo de 1954.  

Além da Rádio Globo, Luiz Mendes trabalhou também na Rádio Farroupilha,TV Rio, TV Globo, Rádio Continental, TV Educativa e TV Tupi e escreveu quatro livros sobre futebol: "As Táticas do Futebol Brasileiro - Da Pelada à Pelé” (1963), "As Táticas do Futebol (Antigas e Atuais)” (1979), "Futebol Regras e Táticas” (1979) e "Sete (7) Mil Horas de Futebol" (1999).

No livro "Minha gente - Luiz Mendes, o mestre da crônica esportiva do Brasil" (editora 7 Letras), lançado em dezembro do ano passado, a jornalista Ana Maria Pires narra a trajetória do radialista em 70 anos de carreira, desde o início como locutor de um serviço de auto-falante na cidade de Ijuí (RS), passando pela contratação pela Rádio Globo do Rio, no final de 1944, o casamento com a atriz Daisy Lúcidi, uma estrela das radionovelas nos anos 50, e suas experiências de cobertura 'in loco" de 16 copas do mundo de futebol.

Na obra em sua homenagem, Mendes descreve sua maior alegria com o futebol. "A cobertura da conquista da primeira Copa do Mundo pela seleção brasileira, em 1958, na Suécia, foi a emoção mais forte que vivi em minha vida profissional. Tanto que meus olhos se encheram de lágrimas tão logo gritei ‘Brasil, Campeão do Mundo de 1958’. Como dizem por aí, a primeira vez a gente nunca esquece!"

Dono de uma fala simples e envolvente, de memória ampla e impressionante, de carisma e simpatia sem pares, Luiz Mendes deixa o país órfão e o futebol triste.

domingo, 23 de outubro de 2011

Jô Soares lança seu quinto livro: 'As esganadas'


Rio, 1938. Um perigoso assassino está à solta nas ruas. Seu alvo: mulheres jovens, bonitas e... gordas. Sua arma: irresistíveis doces portugueses. Com requintes de crueldade gastronômica, ele mata sem piedade suas vítimas, e depois expõe seus cadáveres acintosamente, escarnecendo das autoridades. 

Surge, então, Tobias Esteves, o ‘inspector’ da polícia portuguesa que imigrou para o Brasil e é o principal personagem de "As esganadas", novo romance de Jô Soares, editado pela Companhia das Letras (com tiragem de 80 mil exemplares), que chega ao mercado neste fim de semana, tanto nas livrarias quanto na internet, em versão digital. 

Quinto livro e quarto romance do comediante, "As esganadas" se passa no Rio de Janeiro da década de 1930 e conta a história do misterioso assassinato de mulheres gordíssimas, cujos corpos são sempre encontrados entupidos do que há de melhor na gastronomia portuguesa. Uma turma de protagonistas insólitos e hilários se dispõe a desvendar a trama, batizada pela imprensa da capital federal como "O caso das esganadas", numa corrida contra o tempo para evitar que o assassino faça sua próxima vítima.

O lançamento oficial de "As esganadas" acontece na próxima quarta-feira, dia 26, a partir das 18h, na Livraria Cultura (Avenida Paulista, 2073) do Conjunto Nacional, em São Paulo, quando Jô Soares receberá amigos e leitores em sessão de autógrafos.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Presença na Feira do Livro de Frankfurt revela potencial de internacionalização do mercado editorial brasileiro


Editoras inscritas no Projeto Brazilian Publishers negociaram mais de US$ 305 mil na maior feira de livros do planeta  

                                                         Fotos: Divulgação
Principal evento do setor editorial do planeta, a Feira de Livro de Frankfurt terminou no último fim de semana com um balanço positivo para o mercado brasileiro. Com 52 editoras presentes e 246 m2 de área, o estande do Brasil, que teve entre seus organizadores a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o Projeto Setorial Brazilian Publishers (Apex-Brasil), foi palco para que centenas de pessoas, de diferentes nacionalidades, conhecessem um pouco mais do mercado nacional do livro.

Foram mais de 470 reuniões de negócios apenas no âmbito do Projeto Brazilian Publishers, uma parceria da CBL com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) que tem por objetivo estimular a internacionalização das editoras brasileiras. Mas a grande atração da presença do Brasil em Frankfurt foi o Look At, evento organizado pela própria feira, com apoio do Brazilian Publishers e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que buscou apresentar para formadores de opinião e editores presentes no evento os mercados emergentes que estão chamando a atenção no segmento literário pela qualidade e diversidade da sua produção.

O Brasil foi um desses países. “Somos hoje um dos países mais visados do planeta, tanto pelo potencial de crescimento do nosso mercado, quanto pela nossa capacidade de superar os entraves do passado para nos tornarmos, hoje, um dos mais promissores países emergentes. O que buscamos mostrar nessa apresentação foi que essa diversidade cultural, econômica e até mesmo política reflete na nossa produção editorial”, resume Karine Pansa, presidente da CBL, responsável pela apresentação do mercado nacional.

A participação brasileira em Frankfurt 2011 é o primeiro “tubo de ensaios” para a homenagem que o país receberá na edição de 2013 do evento. Por isso, além de livros, o estande brasileiro contou com espaços para a degustação de vinhos, café e frutas nacionais, por meio de ações promovidas pela Apex-Brasil em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN),  Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e o Instituto Brasileiro de Frutas (IBRAF).

A ideia foi mostrar, com nossas frutas exóticas e vinhos cada vez mais bem feitos, um pouco do que está por detrás da criatividade peculiar dos brasileiros, além de termos pela primeira vez em nosso estande o Café brasileiro”, explica a gestora do Brazilian Publishers na CBL, Dolores Manzano.

Além das já citadas 473 reuniões envolvendo editoras integrantes do Brazilian Publishers, os resultados das ações no âmbito do projeto já somam, até o momento, mais de US$ 130 mil em negócios fechados, entre comercialização de livros e de direitos autorais nacionais. Além disso, estima-se que mais US$ 175 mil serão negociados nos próximos 12 meses. Das 52 editoras brasileiras presentes em Frankfurt, 35 faziam parte do Brazilian Publishers.

A Feira do Livro de Frankfurt – a maior e mais importante do segmento literário em todo o mundo – contou com 7.400 expositores de 106 países, promovendo 3.200 eventos culturais.