quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Campanha nascida no twitter (#doeumlivro) comemora 15 mil livros recebidos e entrada de novos parceiros

De maneira informal, no ano passado alguns twitteiros passaram incentivar outros twitteiros a doarem livros no final do ano. A proposta teve receptividade e adesão avassaladoras e logo se tornou a campanha #doeumlivrononatal.

Organizada por Heber Dias de Souza, José Luiz Goldfarb e Laura Furquim Xavier, a campanha se tornou um dos assuntos mais comentados no ambiente do twitter (em alguns dias a TAG chegou a ser a mais mencionada no twitter brasileiro) e foi “abraçada” por artistas, jornalistas, políticos e empresários, como Maria Rita, Serginho Groisman, Paulo Coelho e Willian Bonner, entre outros.

Rapidamente, a iniciativa evoluiu para um projeto objetivo e consistente, com parcerias em todo o País. Muitos postos de coleta foram disponibilizados e os livros começaram a surgir - de forma surpreendente e em grande quantidade. Ao final, foi arrecadado o surpreendente número de 180.455 livros.

Este ano, a campanha passou a se chamar “Doe um Livro” (#doeumlivro), para se tornar ainda mais abrangente – já é uma das mais comentadas no twitter – e comemora os primeiros 15 mil livros recebidos e a entrada de novos parceiros. “A campanha é mais um exemplo de como as redes sociais que se formam no twitter podem extrapolar os limites da dimensão virtual, ganhar as ruas das cidades, fazer a diferença e transformar a realidade”, afirma José Luiz Goldfarb (foto), diretor de divulgação da campanha, que acrescenta: “A expectativa é que este ano a campanha chegue a 250 mil livros, superando os 180 mil do ano passado”.

A abrangência e legitimidade da campanha foram garantidas quando o #doeumlivro ganhou o apoio do Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed), que abriu as portas das Secretarias de Estados de Educação para que os livros sejam recebidos; e da Droga Raia, que disponibilizou suas 354 lojas para a doação de livros (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná). Este ano, a campanha tem o apoio da Fundação Abrinq, do Exército da Salvação, da Sempre um Papo e da ONG Visão Mundial.

Os locais de coletas podem ser encontrados no site da campanha: http://www.doeumlivro.com.br (ou enviando mensagem via twitter - @doeumlivro). A campanha está nos seguintes estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Pará, alem do Distrito Federal.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Instituto Pró-Livro realiza campanha que estimula o livro como presente de Natal

Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil revela número expressivo de brasileiros que nunca foram presenteados com um livro
Ilustração feita por Marcelo Cabral (Marcness)
Natal é tempo de festas, de reunir a família e trocar presentes. E por que não fazer desse momento uma ocasião para estimular a leitura? É com esse propósito que o Instituto Pró-Livro – IPL realiza a Campanha Natal com Livros, que tem como objetivo despertar no brasileiro o hábito de acrescentar um presente especial em sua lista de presentes.

A segunda edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo IPL ao Ibope Inteligência, revelou que 85% dos brasileiros não leitores nunca foram presenteados com livros. Impulsionado por esses dados, o Pró-Livro lançou essa semana a campanha que convida as pessoas a contarem a história de seu primeiro contato com o livro.

O objetivo é mobilizar a população sobre o poder transformador da leitura e estimular que neste Natal muitos adultos e crianças sejam presenteados com livros. “Quando participo de congressos e entrevistas sobre a pesquisa a pergunta chave é: como fazer para estimular as crianças e jovens a lerem? Quem sabe através dos relatos colhidos na campanha descobrimos várias receitas reveladas por pessoas que já descobriram o amor pelos livros”, diz Zoara Failla, gerente de projetos do Instituto Pró-Livro.

Os relatos podem ser enviados para o e-mail instituto@institutoprolivro.org.br e depois serão publicados no site http://www.prolivro.org.br/.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Vera Fischer lança romance “Serena” e mergulha no universo feminino

A atriz Vera Fischer lança nesta segunda-feira (20/12) o primeiro de uma série de dez livros. O romance Serena, com o selo da Editora Litteris, terá sessão de autógrafos a partir das 19h30, na Livraria do Café, no Shopping da Gávea (Rua Marquês de São Vicente, 52 – em frente ao Teatro Vanucci).

Este é o primeiro romance de Fischer e o seu terceiro livro publicado. Serena revela uma personagem marcante: uma mulher bonita, 35 anos, empresária com residência em três países. Bem posicionada socialmente, Serena revela mais que charme, beleza e muito talento, além de muita ousadia para os negócios e, sobretudo, no amor. É um romance com doses generosas de thriller que passeia ainda por aventuras bem estruturadas, fazendo revelar mais que uma grande personagem, uma excelente autora.

Serena estreia a coleção que terá como título apenas nomes de mulheres e, segundo descrição da própria autora, é "vibrante". Os dez livros foram escritos em um ano (2009) e trazem episódios autobiográficos em sua trama, mas a atriz não revela quais são. "É segredíssimo", brinca.

Uma característica que todos os personagens de Vera Fischer têm em comum é o fato de serem ricos. "Eu não sei escrever pra gente pobre. Eu detesto", diz Fischer. Para ela, a vida dos ricos é mais interessante. "Cada livro tem pelo menos uma viagem ao exterior."

A atriz, que ganhou projeção nacional ao ser Miss Brasil em 1969, já conta com duas obras em seu currículo. Em 2007, a loira lançou "Vera - A pequena Moisi", apelido carinhoso que ganhou dos pais ainda pequena. A obra é uma autobiografia, onde a atriz resume seu passado, fala da infância difícil, do pai autoritário e da carreira. Dois anos depois lançou “Um Leão por Dia”, onde conta muitas histórias curiosas e fatos de uma vida que os holofotes não conseguem mostrar.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

"Cuba, apesar do bloqueio", de Mário Augusto Jakobskind, tem lançamento hoje, às 18h, na ABI

Será lançado hoje (14/12), às 18h, o livro-reportagem “Cuba, apesar do bloqueio  50 anos de revolução”, do jornalista Mário Augusto Jakobskind, com sessão de autógrafos na sala Belisário de Souza, no 7º andar da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), à Rua Araújo Porto Alegre 71, Centro.

A ideia de escrever o livro surgiu da necessidade de mostrar o lado positivo do país que, em geral, não ganha muito destaque na grande imprensa, explicou o autor. “Cuba só aparece como uma ditadura, como se o povo não tivesse o direito de escolher os seus dirigentes. Alguns veículos de imprensa chegam a se referir ao país como a ‘ditadura dos Castro’, em referência a Fidel e Raul, o presidente”, disse Jakobskind.

O livro está dividido em duas partes: a primeira fala sobre os 25 anos iniciais da revolução cubana – deflagrada no último dia de 1958 – e a segunda se baseia em fatos ocorridos a partir de 1984. A primeira parte tem prefácio de Henfil e posfácio de João Saldanha. A nova edição, apresentada pela Booklink, está atualizada até 2010.

Escrito como uma reportagem em linguagem agradável aos mais variados públicos, o livro relata fatos relevantes observados pelo autor durante algumas de suas estadas na Ilha. Pertencente ao Conselho Curador da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), Jakobskind é conselheiro da ABI e correspondente no Brasil do jornal uruguaio Brecha.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Livro "São Paulo - pontes e vistas" registra a simbologia romântica da capital paulista

O fotógrafo Marcelo Lerner lança nesta terça-feira, dia 14, às 19h30, na Galeria Concreta (Rua dos Macunis, 440, Alto de Pinheiros, em São Paulo), o seu livro "São Paulo - pontes e vistas", com o selo da Editora Beca. Ele apresenta um ensaio fotográfico em que a simbologia romântica do instantâneo, presente nos quadros do pintor francês Géricault, é subvertida pela construção medieval dos momentos, que subsistem, como em uma ilustração que mostra o plantio e a colheita em um mesmo painel.

No ensaio, as pontes, monumentos que ligam dois pontos, não são o assunto, mas pontos de observação para registrar um “instantâneo” que carrega em si vários momentos. O livro mostra 28 panorâmicas da cidade de São Paulo, tomadas a partir de cada uma das pontes que cruzam os rios Tietê, Pinheiros e Tamanduateí. As imagens foram produzidas através de uma técnica desenvolvida pelo fotógrafo, que une o grande formato, analógico, e a fotografia digital, criando imagens de alta resolução.

"São Paulo - pontes e vistas" é uma documentação de grandes transformações da cidade de São Paulo, ao estilo clássico dos fotógrafos do século XIX, como Guilherme Gaensly e Marc Ferrez. O prefácio do livro é do pesquisador e curador de fotografia Rubens Fernandes Junior.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

"Sou Feliz, Acredite!" será lançado hoje, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon

Acontece HOJE (10/12), a partir das 19h,  na Livraria da Travessa, no segundo piso do Shopping Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o lançamento do livro "Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação",  dos jornalistas Mônica Bernardes e Mauro Tertuliano. Nesta obra, que tem o selo da Editora Best Seller, os autores narram 13 histórias de superação. São casos de pessoas que viveram situações dramáticas, souberam enfrentar as adversidades e passaram a ajudar outras pessoas através de palestras, doações ou trabalhos sociais em instituições.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Três boas dicas de leitura para você aproveitar


“Confidências, Confusões e... Mais Garotas!”,é o nome do livro lançado por Gustavo Reiz na terça-feira, na Livraria Travessa de Ipanema. Na ocasião, as também escritoras Thalita Rebouças e Fernanda Pontes fizeram leituras de trechos da obra, que tem o selo da Editora Rocco. Este é o quarto livro sobre o universo adolescente escrito por Gilberto, que é também autor da minissérie ‘Sansão e Dalila’, da TV Record. "Falar sobre adolescentes é bom porque eles não mudam conforme o lugar ou o poder aquisito", diz o autor.
Com 30 anos de experiência na advocacia, Wanderley Rebello Filho acaba de lançar o livro “Menos Leis mais Justiça”, pela Editora Letra Capital. Este é o sétimo livro da carreira deste advogado criminalista e reúne crônicas pessoas, com opiniões sobre temas polêmicos que estiveram na mídia ao longo do tempo, sendo retratados dentro do Direito.

Considerado o “Rei da Noite”, o empresário, jornalista e freqüentador de casas noturnas no Brasil e em diversas cidades mundo afora, como Paris e Nova Iorque, Ricardo Amaral resolveu colocar mais de duas décadas de boemia no papel e escreveu a autobiografia Ricardo Amaral apresenta: vaudeville – memórias, que tem o selo da Editora LeYa. Nascido em São Paulo mas radicado no Rio de Janeiro, cidade pela qual se apaixonou, Ricardo Amaral foi o criador da tradicional queima de fogos no réveillon de Copacabana nos anos 80. Foi o descobridor de Xuxa e proprietário de casas noturnas famosas, como Papagaio, Hippopotamus, Resumo da Ópera, Metropolitan, Clube A, em Nova Iorque e Le 78, em Paris.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"Sou feliz, acredite!", com histórias comoventes de luta e superação, será lançado na próxima sexta-feira, dia 10, no Shopping Leblon

Os jornalistas Mônica Bernardes e Mauro Tertuliano lançam na próxima sexta-feira, dia 10, às 19h, na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon, o livro "Sou Feliz, Acredite! – Histórias comoventes de luta e superação", com o selo da Editora Best Seller.

Os autores, que trabalham como editores na TV Globo, narram 13 histórias de superação. Casos de pessoas que passaram por situações dramáticas, souberam enfrentar as adversidades e passaram a ajudar outras pessoas com palestras, doações ou trabalhos sociais em instituições. Todas têm em comum o fato de, apesar do sofrimento, demonstrar alegria de viver.

Os autores também ouviram pensadores de diversos segmentos sobre os motivos que podem levar alguém a ter tanta força e tanto otimismo. Por que certas pessoas entram em desespero e desistem da luta enquanto outras mantêm o vigor e a capacidade de superação? Os autores esperam, com esse trabalho, inspirar as pessoas a viverem mais felizes.

Entre os entrevistados que opinaram sobre a capacidade de ser feliz estão Zilda Arns, Divaldo Franco, Affonso Romano de Sant'Anna, Ignacio Cano, Dom Estêvão Bittencourt, Dráuzio Varella, Manoel Thomaz e Moacyr Félix.

Personagens que contaram suas vidas:
1- Aleksander Laks - Sobrevivente do Holocausto. Vive em Copacabana e dá palestras pelo mundo.

2- Anselmo Fracasso - Primeiro padre cego do Brasil. Fieis fazem fila para ouvir os seus conselhos no Convento de Santo Antônio, no Centro do Rio.

3- Aparecida Conceição - Enfermeira que largou o emprego para cuidar de pacientes do fogo selvagem em sua própria casa, em Uberaba, e depois montou uma instituição para tratamento dos doentes.

4- Cléa Moraes - Mãe de Sônia Angel, morta nos porões da ditadura militar brasileira, se tornou uma das mais atuantes voluntárias do Grupo Tortura Nunca Mais.

5- Dayse Agra - Mãe de jovem que morreu vítima da Aids, superou todos os preconceitos e se tornou uma das voluntárias mais dedicadas do Grupo pela Vidda, instituição de auxílio aos portadores do HIV.

6- Deusalina Queiróz - Menina pobre, criada no norte do Brasil, sofreu com doenças que não podiam ser tratadas por falta de dinheiro e de estrutura. Mas sempre superou a dor e se dedicou a ações de solidariedade.

7- Maria Eulina - Imigrante do nordeste, passou dois anos como mendiga até conseguir trabalho em São Paulo. Casou-se com um homem rico e montou uma instituição para ajudar a população de rua. É apelidada de Cinderela Brasileira.

8- Maria de Fátima Longo - Nascida sem braços e sem pernas, formou-se em Ciências Sociais, dá aulas e já foi vereadora em Botucatu (SP). Dá palestras e vive sorrindo!

9- Maria do Carmo - Mãe de jogadora de basquete morta por bala perdida no Grajaú. Doou os órgãos da filha e passou a participar de iniciativas contra a violência e em defesa da doação de órgãos para transplante.

10- Solange dos Santos - Vítima de abuso sexual por parte do pai quando criança, teve que morar com os tios e foi discriminada pelas primas. Já adulta, teve uma filha que sofreu de esquizofrenia e morreu vítima do vírus da Aids. Partiu para trabalho voluntário no CVV (Centro de Valorização da Vida), onde salvou vidas - por telefone!

11- Valéria Lewis - Uma das primeiras vítimas da Aids no Brasil, se inspirou em Cazuza para não se matar em 1989 e até hoje está viva, mostrando que o HIV não significa o fim do caminho. Há 5 anos, teve um filho (saudável)!

12- Vera Flores - Mãe de jovem desaparecida em 1990 no episódio conhecido como "Chacina de Acari". Fundou o grupo "Mães de Acari", nunca achou os restos mortais da filha, mas ajudou a localizar centenas de pessoas que sumiram no Rio de Janeiro.

13- Virgínia Carneiro - Vítima de poliomielite, nunca se abateu com a deficiência nem com a discriminação. Contrariando a expectativa da própria mãe, que a julgava incapaz de conseguir marido, foi a primeira dos 12 irmãos a se casar e teve 6 filhos. Dá mais de 100 palestras por ano sobre a alegria de viver. Para ela, a cadeira de rodas "dá asas".

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

"A lua depois do gravador' tem noite de autógrafos movimentada em Botafogo

A jornalista e escritora Simone Magno lançou, na segunda-feira (29/11), em movimentada noite de autógrafos na Livraria Blooks de Botafogo, no Unibanco Arteplex, seu livro A lua depois do gravador – histórias de você e ele, que tem o selo da Editora Grua.

Nele, a autora percorre os sentimentos em relação ao outro por meio de narrativas curtas de amor, sentimentos nem sempre nítidos, não apenas para o objeto, como também para o sujeito que sente. Sujeito e objeto se confundem no amor vivido pelas personagens.

Simone Magno acessa suas memórias afetivas, faz um backup de amores pretéritos e inventa novos vícios para encontrar definições possíveis para o sentir. Um amor, em todas as suas faces, sempre intenso.

Entre as dezenas de amigos que compareceram ao evento estava o radialista José Carlos Araújo.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Luiz Mendes, mestre da crônica esportiva, ganha amanhã homenagem em forma de biografia

O livro "Minha Gente - Luiz Mendes, o Mestre da Crônica Esportiva do Brasil", escrito pela jornalista Ana Maria Pires, será lançado nesta TERÇA-FEIRA, dia 2 de dezembro, às 19h, no salão nobre da sede do Botafogo, em General Severiano.

A biografia, com o selo da Editora 7 Letras, é uma homenagem ao maior ícone do jornalismo esportivo deste país, que em dezembro completará 70 anos de carreira, 66 da fundação da Rádio Globo e 63 de casamento com a atriz e radialista Daisy Lúcidi.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Jornalista lança livro de ficção policial

O jornalista Marco Antonio Zanfra, autor do Manual do Repórter de Polícia, lança nesta quarta-feira (1°/12), seu primeiro romance: As covas gêmeas, produzido e distribuído pela Editora Brasiliense. A sessão de autógrafos acontece a partir das 19h, na Livraria Catarinense do Beiramar Shopping (Rua Bocaiúva, 2468, Centro), em Florianópolis-SC.

Neste novo livro, o autor conta a história de um policial chamado Marlowe, que busca o paradeiro de um garoto cujo o irmão gêmeo fora encontrado morto e a mãe mandara cavar uma segunda sepultura, na expectativa de também enterrar o filho desaparecido.

A procura pelo jovem reserva uma série de surpresas a Marlowe e revela os bastidores de um esquema criminoso envolvendo grupos de segregação, morte e mutilação de adolescentes.

O enredo de As covas gêmeas está relacionado diretamente com a vida profissional do autor, que durante 15 anos trabalhou como repórter policial, com destaque pelas passagens nos jornais catarinenses O Estado e A Notícia. Fora das redações desde 2002, atualmente Zanfra é assessor de imprensa do Detran-SC.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Dois lançamentos movimentam a agenda literária desta terça-feira, no Rio e em Brasília


Ministro lança livro no Rio - O ministro Pedro Brito, da Secretaria Nacional dos Portos, decidiu se aventurar no mundo literário e lança amanhã (30/11), na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, no Rio de Janeiro, o livro Muito a navegar – uma análise logística dos portos brasileiros.

Publicado pela Topbooks, do editor José Mario Pereira, o livro aborda os principais desafios do setor e terá toda a sua renda revertida para o Instituto do Câncer do Ceará - tanto o autor quanto o editor são cearenses. A sessão de autógrafos será a partir das 19 horas.




'Armadilha em Gaza'  chega a Brasília - No mundo todo a mídia associa a Israel a imagem de um estado militarista, que promove massacres de palestinos e se opõe a qualquer tentativa de paz na região. A verdade, no entanto, é muito mais complexa, e não se limita a uma mera disputa territorial entre palestinos e israelenses, e sim a um conflito ideológico, agravado pela ação de um grupo terrorista fundamentalista, o Hamas — satélite do Irã em Gaza —, que propaga explicitamente a luta pelo extermínio do Estado judaico, a única democracia do Oriente Médio.



E é isso que Jorge Zaverucha mostra em Armadilha em Gaza – Fundamentalismo islâmico e guerra de propaganda contra Israel, que será lançado nesta terça-feira (30/11), a partir das 19h, na Saraiva Megastore do Shopping Pátio Brasil (SCS / B – Lote A – Nível 1), Brasília, DF.



O livro tem ainda o mérito de revelar dados surpreendentes, como o relatório da ONU com o índice sócio-econômico dos territórios palestinos, superior, por exemplo, ao da média do mundo árabe. Algo, portanto, totalmente oposto ao torpe mito do “campo de concentração a céu aberto”.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Pixinguinha ganha homenagem com lançamento de livro com 36 partituras de sua autoria

O Governo do Estado de São Paulo, o Instituto Moreira Salles e a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo lançam na próxima segunda-feira, dia 29, às 19h, no Auditório Ibirapuera (Parque do Ibirapuera, 10, em São Paulo), a publicação "Pixinguinha na pauta". Trata-se de uma caixa especial com 36 partituras, contendo arranjos inéditos do mestre, mais um livro, o qual contém textos da organizadora do projeto e coordenadora de música do IMS, Bia Paes Leme, da pesquisadora Anna Paes, do violonista e arranjador Paulo Aragão e do bandolinista e maestro Pedro Aragão.

O lançamento se dá com um show da Orquestra Pixinguinha na Pauta, formada especialmente para a ocasião, que conta com 28 músicos e será regida pelo bandolinista Pedro Aragão. Participação especial do cantor Pedro Miranda, que também será o apresentador da noite. O espetáculo contará com as ilustres presenças de Cristóvão Bastos e Nailor Proveta, entre outros. A Orquestra executará parte dos 36 arranjos inéditos de Pixinguinha.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dário Gadêlha lança PLURAIS hoje na Saraiva Ibmec

A Litteris Editora e a Saraiva convidam para o lançamento do livro PLURAIS, do escritor Dário Gadêlha.
A sessão de autógrafos acontece hoje (22/11), das 19 às 21h30, na Saraiva Ibmec (Av. Presidente Wilson,  118), no Centro.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Biografia de Luiz Mendes, o mestre da crônica esportiva, será lançado no dia 2 de dezembro

O livro "Minha Gente - Luiz Mendes, o Mestre da Crônica Esportiva do Brasil", escrito pela jornalista Ana Maria Pires (que aparece na foto ao lado do homenageado), será lançado no próximo dia 2 de dezembro, às 19h, no salão nobre da sede do Botafogo, em General Severiano.

A biografia, com o selo da Editora 7 Letras, é uma homenagem ao maior ícone do jornalismo esportivo deste país, que em dezembro completará 70 anos de carreira, 66 da fundação da Rádio Globo e 63 de casamento com a atriz e radialista Daisy Lúcidi. O evento será restrito a convidados, mas o livro estará à venda no dia seguinte, nas principais livrarias do País.

Selo Negro Edições e o Museu Afro Brasil celebram o Dia da Consciência Negra

No próximo sábado, dia 20, será comemorado em todo o País o Dia Nacional da Consciência Negra. Para celebrar a data, a Selo Negro Edições e o Museu Afro Brasil realizam, no dia 23, terça-feira, das 19h às 22h, o lançamento dos livros Literatura negro-brasileira e Imprensa negra no Brasil do século XIX, da coleção Consciência em Debate, e João Cândido, da coleção Retratos do Brasil Negro. As coleções, coordenadas por Vera Lúcia Benedito, pesquisadora dos movimentos sociais e da diáspora africana no Brasil e no mundo, têm como objetivo debater temas prementes da sociedade brasileira e abordar a vida e a obra de figuras fundamentais da cultura, da política e da militância negra. O museu fica no Parque Ibirapuera, portão 10 – São Paulo. Haverá vagas para estacionamento no local.
No livro Literatura negro-brasileira, quarto volume da coleção Consciência em Debate, o escritor e pesquisador Cuti, pseudônimo de Luiz Silva, analisa a participação do negro, como personagem, autor e leitor, na literatura brasileira. Escritor profícuo e grande pesquisador, Cuti destaca os precursores e a nova geração dessa corrente – que alcançou um patamar significativo com os trinta anos de edição ininterrupta dos Cadernos Negros, coletânea anual de poemas e contos. “A literatura é alimento para o nosso imaginário, que se move o tempo todo, recebendo, produzindo e reproduzindo ideias, palavras, frases, imagens sobre o que somos como pessoa e povo”, revela o autor.

Já no livro Imprensa negra no Brasil do século XIX, também da coleção Consciência em Debate, a historiadora Ana Flávia Magalhães Pinto resgata títulos da imprensa negra oitocentista publicados em cidades e períodos diferentes. Pioneira, a ob ra aborda a experiência da liberdade e da cidadania, destacando a utilização da imprensa como um instrumento de resistência negra em pleno sistema escravagista. Fruto do trabalho de homens negros livres, cuja cidadania era reconhecida pelas Constituições de 1824 e 1891, os periódicos denunciaram e combateram os entraves criados à garantia desse direito em variados espaços da sociedade da época – ainda organizada com base na escravidão de africanos e de seus descendentes.

Pela coleção Retratos do Brasil Negro, o jornalista Fernando Granato lança a biografia de João Cândido. A obra revela quem foi esse líder negro, que Granato considera o primeiro herói do século XX. Exatamente no ano em que a Revolta da Chib ata completa 100 anos, a obra resgata a história do “Almirante Negro”, um símbolo da luta contra a opressão no Brasil. Resultado de dois anos de pesquisa - nos arquivos da Marinha e da Biblioteca Nacional e em entrevistas com familiares de João Cândido -, o livro pretende iluminar um período pouco conhecido da sua história: a fase que vai de sua absolvição até a sua morte, no Rio de Janeiro, em 1969, aos 89 anos.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Chico Buarque vence Prêmio Jabuti de melhor Ficção do ano

Foto: AE
O cantor, compositor e dublê de escritor Chico Buarque foi o vencedor da 52ª edição do Prêmio Jabuti de Melhor Livro do Ano na categoria Ficção, pelo romance Leite Derramado (Editora Companhia das Letras). O anúncio foi feito na noite de ontem (04) durante a entrega da premiação, promovida pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), na Sala São Paulo. O Jabuti é o mais importante, tradicional e prestigiado da literatura brasileira.

Na categoria Não-ficção, O Tempo e o Cão (Editora Boitempo), de Maria Rita Kehl, foi escolhido como o Melhor do Ano. Na categoria Juri Popular, onde público pode escolher os seus preferidos, Leite Derramado também foi venceu como Ficção, enquanto Linguagens Formais: Teoria, Modelagem e Implementação, de Marcus Vinícius Medena Ramos, João José Neto e Ítalo Santiago Vega (Bookman Editora) foi o vencedor como Não-ficção.

Esta é a terceira vez que Chico Buarque ganha o Jabuti de Melhor Livro do Ano. Ontem, Chico compareceu à cerimônia de entrega, assim como fez em 1992, quando estreava como romancista com "Estorvo" e venceu o Jabuti. Em 2004, quando foi laureado por "Budapeste", não pôde receber o prêmio pessoalmente por causa de uma viagem.

A solenidade contou com show de Monica Salmaso, que cantou acompanhada de André Nemari ao piano antes do ápice da premiação. Ao longo da entrega de troféus, Lima Duarte, Regina Duarte e Zeca Camargo leram trechos de obras finalistas.

Conheça abaixo os vencedores das outras dez categorias do Jabuti, anunciados no início de outubro:

- Romance: "Se Eu Fechar os Olhos Agora" (Record), de Edney Silvestre;

- Tradução: "O Leão e o Chacal Mergulhador" (Globo), traduzido por Mamede Mustafa Jarouche;

- Teoria/Crítica Literária: "A Clave do Poético" (Companhia das Letras), de Benedito Nunes;

- Reportagem: "O Leitor Apaixonado - Prazeres à Luz do Abajur" (Companhia das Letras), de Ruy Castro;

- Biografia: "Nem Vem que Não Tem - A Vida e o Veneno de Wilson Simonal" (Globo), de Ricardo Alexandre;

- Poesia: "Passageira em Trânsito" (Record), de Marina Colasanti;

- Ciências Humanas: "Viver em Risco" (Editora 34), de Lucio Kowarick;

- Contos e Crônicas: "Eu Perguntei pro Velho Se Ele Queria Morrer" (7Letras), de José Rezende Jr.;

- Infantil: "Os Herdeiros e o Lobo" (Comboio da Corda), de Nelson Cruz;

- Juvenil: "Avó Dezanove e o Segredo do Soviético" (Companhia das Letras), de Ondjaki.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Editoras vão lançar autores brasileiros em países europeus

A Mais Comunicação e Editora-SP, do Brasil, e a Chiado Editora, de Portugal, acabam de firmar parceria para a produção de livros customizados, de autores brasileiros, e destinados a mercados da Europa, a exemplo de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Luxemburgo e Alemanha, além de países de língua portuguesa, como Angola.

Segundo o jornalista José Aparecido Miguel, diretor da Mais Comunicação, o acordo permitirá lançamentos dirigidos, sob demanda, no mercado europeu, envolvendo desde biografias até a edição de teses acadêmicas em livros.

Dirigida por Gonçalo Nuno Martins, a Chiado Editora, da Break Media Holding, na sua divisão nacional, é especializada na publicação de autores portugueses contemporâneos, sendo atualmente a maior editora em Portugal neste segmento.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Prêmio Jabuti será entregue nesta quinta-feira na Sala São Paulo

Melhor Livro do Ano de Ficção e Melhor Livro do Ano Não-Ficção serão conhecidos durante a cerimônia

O mais importante prêmio literário do País, o Jabuti, organizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), será entregue nesta quinta-feira, dia 4, a partir das 19h30, na Sala São Paulo — Praça Júlio Prestes, s/nº, Luz, em São Paulo.

Este ano, a premiação alcançou recorde de inscritos (2.867) entre todas as edições do concurso. Concorreram ao Prêmio Jabuti 2010 apenas obras inéditas, editadas no Brasil, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2009.

Concorrem como Melhor Livro do Ano de Ficção os três primeiros colocados na classificação das categorias de Romance; Contos e Crônicas; Poesia; Infantil; e Juvenil.

Concorrem como Melhor Livro do Ano de Não-Ficção os três primeiros colocados nas categorias de Teoria/Crítica Literária; Reportagem; Ciências Exatas, Tecnologia e Informática; Economia, Administração e Negócios; Direito; Biografia; Ciências Naturais e da Saúde; Ciências Humanas; Didático e Paradidático; Educação, Psicologia e Psicanálise; Arquitetura e Urbanismo, Fotografia, Comunicação e Artes.

Os vencedores do Melhor Livro do Ano de Ficção e do Melhor Livro do Ano de Não-Ficção recebem cada um o prêmio máximo de 30 mil reais – a escolha de ambos é feita por um júri formado por profissionais do mercado editorial.

Prêmio “Voto Popular”

Uma das novidades da edição deste ano do Jabuti, o prêmio “Voto Popular” ficção e “Voto Popular” não-ficção - votação do público aberta pela internet e que foi realizada entre os dias 5 e 31 de outubro de 2010 – será também entregue na cerimônia desta quinta-feira. Os premiados na categoria ficção e não-ficção eleitos pelo júri popular receberão uma placa em homenagem à conquista.

“Distinção Jabuti de Comunicação”

No dia da cerimônia de premiação, será ainda entregue a “Distinção Jabuti de Comunicação” como reconhecimento ao profissional de comunicação que se sobressai no País pela sua atuação cotidiana em prol do livro e da leitura. A escolha será anunciada no momento da premiação.

Aline Barros lança autobiografia "Fé e Paixão"

Uma das mais importantes cantoras da música gospel brasileira, a carioca Aline Barros se prepara para lançar, neste mês de novembro, a autobiografia Fé e Paixão. Nesta publicação da Thomas Nelson Brasil e da Ediouro, Aline fala de sua infância simples na Penha, subúrbio do Rio de Janeiro, da fé aprendida em família, das primeiras amizades, do primeiro contato com a música, da chegada do sucesso, do casamento e do nascimento de seu filho, o pequeno Nicolas.

A artista dá uma prévia sobre o livro. “Espero que essa publicação seja sucesso entre meus fãs, pois escancarei a minha vida. No livro, também tento ensinar aos leitores meus valores morais.

Em uma linguagem simples, Aline detalha os fatos mais importantes de sua vida antes, durante e depois do sucesso; como quando descobriu que estava sofrendo de um sério problema nas cordas vocais; ou na infância, quando ajudava a família vendendo cachorro-quente na feira com a mãe; e os momentos preciosos em que se viu tomada pelo imenso amor de Deus nos palcos e fora deles.

Durante todo o seu relato, Aline deixa claro que promove o amor familiar como o alicerce para o fortalecimento de qualquer pessoa, e descreve com emoção o quanto a dedicação ao seu sonho a moveu durante toda a sua vida. 
 
Dona de uma voz e de um talento inigualável, Aline Barros é hoje a maior cantora gospel do país e seu timbre já é reconhecido internacionalmente. Tanto que foi a primeira cantora gospel a ganhar o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã, em língua portuguesa em 2004, 2006 e 2007; e também emocionou 700 mil pessoas na maior igreja do mundo, na Coreia do Sul. Ministrou na Venezuela, cantou em Porto Rico e Londres. Além disso, a artista empresta seu carisma e prestígio a ações sociais em todo o país, além de um ministério de alcance internacional.

O reconhecimento na música não está somente ligado ao mercado gospel, Aline venceu obstáculos e sua voz é referência também no mercado secular: hoje, é uma das principais cantoras brasileiras com 5 milhões de CDs e DVDs vendidos no mundo. Agora, os desafios e as vitórias de sua vida, ela conta em Fé e Paixão, seu primeiro livro autobiográfico.
Este é o segundo livro lançado por Aline Barros. O primeiro, Muito Mais que um Sonho, foi feito em parceria com o marido, Gilmar Santos, ex-jogador de futebol que atuou em clubes como Palmeiras e Flamengo, e contou com prefácio de Cafu, ex-jogador da Seleção Brasileira de futebol.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Hoje é o Dia Nacional do Livro. Comemore lendo e incentivando o hábito da leitura.


Comemora-se hoje, dia 29 de outubro, o Dia Nacional do Livro, em homenagem à fundação da Biblioteca Nacional, que surgiu a partir da transferência da Real Biblioteca portuguesa para o Brasil. O acervo, inicialmente, foi acomodado numa das salas do Hospital do Convento da Ordem Terceira do Carmo, na Rua Direita, atual Rua Primeiro de Março. A fundação ocorreu em 29 de outubro de 1810, por meio de um decreto do Príncipe Regente.

Dois anos antes, quando D. João VI fundou a Imprensa Régia, tivera início o movimento editorial começou no Brasil. O primeiro livro publicado aqui foi "Marília de Dirceu", de Tomás Antônio Gonzaga, mas nessa época, a imprensa sofria a censura do Imperador. Só na década de 1930 houve um crescimento editorial, após a fundação da Companhia Editora Nacional pelo escritor Monteiro Lobato, em outubro de 1925.

Para comemorar a data, será aberta hoje a exposição Biblioteca Nacional 200 anos: Uma Defesa do Infinito. Também acontecerá o lançamento, pela Casa da Moeda do Brasil, de uma medalha comemorativa.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

FIRJAN e ABL levam bibliotecas às comunidades pacificadas do Rio de Janeiro

Na minha incessante busca por notícias de interesse para quem incentiva a leitura, fiquei feliz com uma que, apesar da importância, não teve, em minha opinião, o destaque que merecia. Na última sexta-feira, dia 22, o Sistema FIRJAN e a Academia Brasileira de Letras (ABL) assinaram um convênio para levar bibliotecas a todas as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) instaladas no Rio de Janeiro até 2016.

A cerimônia contou com a presença do diretor geral do Sistema FIRJAN, Augusto Franco, do presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vilaça, do acadêmico e 1º secretário da ABL, Domício Proença Filho, e da superintendente do SESI-RJ, Maria Lucia Telles.
A previsão é ter 13 bibliotecas em funcionamento até o fim do primeiro trimestre de 2011, três delas até o fim deste ano: Providência, Pavão-Pavãozinho e Cidade de Deus. Caberá a ABL organizar os títulos e doar livros, tanto editados pela Academia como os que chegam das editoras, além de promover palestras sobre autores brasileiros. À FIRJAN caberá administrar e construir estes espaços.

“O acesso ao bem cultural e à literatura por meio deste intercâmbio entre a FIRJAN e a ABL vai possibilitar que pessoas habilitadas, como os acadêmicos, possam trazer o seu conhecimento para essa população, que por tanto tempo esteve distante da cultura e do acesso à literatura”, disse o diretor geral do Sistema FIRJAN, Augusto Franco.

O presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vilaça, disse que “o retorno desta ação será maravilhoso. Iremos doar livros principalmente da literatura infanto-juvenil e temos convicção de que a recepção destas comunidades à novas bibliotecas será fabulosa”.

As bibliotecas serão construídas pelo Sistema FIRJAN em espaços próprios ou funcionarão dentro da Associação de Moradores ou prédios que tenham espaços ociosos, a depender da realidade de cada comunidade.

A iniciativa é louvável e tem o apoio integral deste singelo Blog, que parabeniza a ABL e a FIRJAN.

Na minha incessante busca por notícias de interesse para quem incentiva a leitura, fiquei feliz com uma que, apesar da importância, não teve, em minha opinião, o destaque que merecia. Na última sexta-feira, dia 22, o Sistema FIRJAN e a Academia Brasileira de Letras (ABL) assinaram um convênio para levar bibliotecas a todas as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) instaladas no Rio de Janeiro até 2016.

(Foto: Antonio Batalha/Divulgação)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Voto Popular do Prêmio Jabuti vai até o próximo domingo, dia 31. Participe!

A votação popular para os vencedores do Prêmio Jabuti começou no dia 5 deste mês e, desde então, a Câmara Brasileira do Livro - CBL já contabilizou mais de 2.700 votantes. A votação poderá ser feita pelo site www.cbl.org.br/jabuti/telas/voto-popular até o próximo domingo, dia 31 de outubro.

Concorrem ao prêmio “Voto Popular” ficção os três vencedores das seguintes categorias: Romance; Contos e Crônicas; Poesia; Infantil; e Juvenil.

Concorrem ao prêmio “Voto Popular” não-ficção os três vencedores das seguintes categorias: Teoria / Crítica Literária; Reportagem; Ciências Exatas, Tecnologia e Informática; Economia, Administração e Negócios; Direito; Biografia; Ciências Naturais e da Saúde; Ciências Humanas; Didático e Paradidático; Educação, Psicologia e Psicanálise; e Arquitetura e Urbanismo, Fotografia, Comunicação e Artes.

Os premiados na categoria ficção e não-ficção eleitos pelo júri popular receberão uma placa em homenagem à conquista. O objetivo do “Voto Popular” é aproximar o grande público do Prêmio Jabuti. A cerimônia oficial de entrega do Prêmio Jabuti acontecerá no dia 4 de novembro, na Sala São Paulo.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

No Catete, "10ª Primavera dos Livros" homenageia o Rio de Janeiro em sua 10ª edição

Evento acontece entre até domingo, no Museu da República, com cerca de 90 editoras e 10 mil títulos à disposição do público

Foi aberta ontem à noite a 10ª Primavera dos Livros, que ficará à disposição do público nos jardins do Palácio do Catete até o próximo domingo, das 10 às 22h, com entrada gratuita. Considerado o maior encontro de editoras independentes do país, o evento tem como tema principal o Rio de Janeiro, em um momento em que olhares do mundo inteiro estão voltados para a cidade.

Promovida pela Liga Brasileira de Editoras - Libre, a Primavera dos Livros busca fomentar a troca de ideias e contribuir para o fortalecimento da cultura nacional. Ao todo, são cerca de 90 editoras independentes participantes e um catálogo de 10 mil títulos à disposição do público. A expectativa da organização é que 30 mil pessoas circulem pelos jardins do Palácio do Catete durante o evento. Além de oferecer descontos de até 40% sobre o preço de capa, a Primavera dos Livros conta com a presença dos editores nos estandes, possibilitando uma maior integração com o público.

O dia de hoje, sexta-feira, 22, é dedicado aos professores. Um seminário discutirá a importância da leitura na aprendizagem escolar, com as participações do historiador Chico Alencar, da escritora Ninfa Parreiras, do escritor Joel Rufino e do jornalista e escritor Galeno Amorim, entre outros. Além de receberem certificado pela participação no seminário, os professores terão 50% de desconto na compra dos livros.

Neste sábado, 23, as crianças terão uma tarde especial na Primavera. Das 16h às 17h, haverá oficinas e contação de histórias com o escritor Solano Gudes, autor de "A história dos três pontinhos", da editora Vieira & Lent. Às 20h, acontece o 4º Festival de Poesia da Primavera, com a participação de poetas de todas as editoras da Libre, entre eles Chacal, Geraldo Carneiro, Tavinho Paes, Mano Melo e Henrique Rodrigues. Haverá também performances com apresentações do Organismo, grupo que interpreta e canta poemas sem instrumentos, e do grupo do espetáculo Amor Bardo que canta e recita sonetos de Shakespeare a partir da tradução de 154 Sonetos (livro editado em 2009 pela Ibis Libris).

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Thalita Rebouças lança ‘Ela disse, ele disse”, seu primeiro livro com protagonista masculino

Fenômeno da literatura jovem nacional, com 10 títulos publicados e mais de 800 mil exemplares vendidos, Thalita Rebouças lança no próximo dia 29, pela Editora Rocco, o aguardado "Ela disse, ele disse". Com tiragem inicial de 30 mil exemplares, o livro é o primeiro de sua carreira a ter um menino como protagonista.

A autora de Fala sério, mãe!, Tudo por um namorado e Uma fada veio me visitar, entre outros sucessos, demonstra a mesma sensibilidade e bom humor para captar o universo masculino quanto revela em relação ao mundo das garotas. Thalita Rebouças prova porque é a escritora mais amada pelos adolescentes de norte a sul do país.


Alternando as vozes de Rosa e Leo, ambos adolescentes de 14 anos novos no mesmo colégio, Ela disse, ele disse é um divertido romance que mostra como meninos e meninas podem sentir as mesmas coisas, mas pensar e agir de modo muito diferente. Por muito pouco, a timidez de um pode virar antipatia na cabeça do outro; por outro lado, uma reação mais alegre e espontânea corre o risco de ser interpretada como “mole” pelo sexo oposto. Não é à toa que, do alto dos seus 14 anos, Rosa conclui que “garotos são feitos de outro tipo de massinha”.

‘John Lennon: o ídolo que transformou gerações’. Livro homenageia o líder dos Beatles

Este ano de 2010 é lembrado por duas datas marcantes na vida de John Lennon, o inesquecível líder dos Beatles: 70 anos de seu nascimento e 30 anos de sua morte. Por isso, a Editora Universo dos Livros acaba de lançar “John Lennon: O ídolo que transformou gerações”.

A obra, escrita pelo autor americano Gary Tillery, traz formações inéditas sobre a vida deste grande ídolo. Conta detalhes da perturbada infância em Liverpool, a criação dos Beatles e o envolvimento libertador de Lennon com Yoko Ono. O livro enfoca suas realizações, as ideias que norteavam sua vida, os valores importantes para o ídolo e os princípios que adotou para alcançá-los.

No final da década de 1960, esse superstar do mundo pop era reconhecido - ao lado dos estadistas John F. Kennedy e Ho Chi Minh – como o “Homem da Década”. Lennon foi o primeiro rock star a ter uma reunião para discutir questões políticas e sociais com o líder da nação. Suas opiniões eram tão influentes que um comentário espontâneo durante uma entrevista na Inglaterra resultou em demonstrações religiosas por todo os Estados Unidos.

Em dezembro de 1980, o mundo perdia de modo brutal uma das maiores personalidades do mundo artístico. Lennon, que sempre buscou a paz e valorizou ideais pacificadores e artísticas, foi brutalmente assassinado na porta de casa.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Livro e filme sobre Tropa de Elite estão disponíveis para o público

O livro Elite da tropa 2, que transita entre realidade e ficção ao relatar a ameaça das milícias sob o olhar de um policial civil do Rio de Janeiro, foi lançado na noite de ontem (7/10), em sessão de autógrafo festiva na Livraria Travessa do Shopping Leblon, no Rio de Janeiro. Com uma combinação de literatura, jornalismo e denúncia, o livro, que tem o selo da Editora Nova Fronteira, foi escrito por Luiz Eduardo Soares, Cláudio Ferraz, André Batista e Rodrigo Pimentel e é uma obra construída em diálogo com José Padilha e os criadores do filme Tropa de elite 2.

                                                                                           Foto: Alexandre Lima (Divulgação)
Aliás, o filme também foi lançado oficialmente ontem em solo carioca. Duas salas do cinema São Luiz, no Largo do Machado, foram reservadas para o acontecimento, que contou com a presença do elenco, da equipe, e da imprensa internacional. Depois da exibição do filme, aconteceu uma entrevista coletiva com o diretor José Padilha, o diretor de fotografia Lula Carvalho, o produtor Marcos Prado e os atores Seu Jorge, Tainá Müller, Wagner Moura, André Mattos, André Ramiro, Sandro Rocha, Maria Ribeiro e Milhem Cortaz. Inicialmente programado para 600 salas, Tropa de Elite 2 chega hoje (8/10) ao circuito nacional em 661 salas de exibição. Esta marca dá ao filme o título de maior lançamento da história do cinema brasileiro.Livro e filme são autônomos, mas compartilham temáticas e fontes, referências e intenções. As duas obras tratam, acima de tudo, de justiça e lealdade em uma sociedade na qual crime e poder caminham lado a lado.

Páginas do livro repletas de realidade

Nesta que é a primeira obra a tematizar a ameaça das milícias, o antropólogo Luiz Eduardo Soares e três coautores que convivem ou conviveram intimamente com a violência urbana - o delegado titular da DRACO Cláudio Ferraz, o major André Batista (ex-BOPE) e o jornalista e ex-policial do BOPE Rodrigo Pimentel - transformam em literatura fatos atuais e aterradores relacionados ao crime organizado no Rio de Janeiro. É uma narrativa que tem a verdade como compromisso fundamental.

Dando continuidade ao livro que, lançado em 2006, foi um grande sucesso ao exibir aos leitores detalhes da violência urbana e de seus bastidores políticos, Elite da Tropa 2 flagra a anatomia dessas máfias brasileiras, grupos criminosos formados por policiais e mantidos parcialmente com recursos do Estado.

Se no volume inicial o foco da ação estava na Polícia Militar e no BOPE (Batalhão de Operações Especiais), esta sequência acompanha o dia a dia da DRACO (Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado), braço da Polícia Civil, na voz de um inspetor. A narrativa traz a público episódios desconhecidos e inacreditáveis da história política e policial do Rio de Janeiro, permitindo que o leitor compreenda por que as milícias têm uma força crescente e quais são os limites das UPPs.

Os autores lançam luz sobre o trabalho e os dilemas de quem lida com segurança pública no Brasil em uma trama ambientada em bairros nobres da capital carioca, municípios da Baixada Fluminense e até mesmo cidades nordestinas. Por meio de personagens cuidadosamente estruturados é possível conhecer as marcas da violência nas suas mais variadas formas - explícita ou velada, física ou espiritual, objetiva ou subjetiva, coletiva ou individual.