quinta-feira, 23 de março de 2017

Profissionais da área abordam ferramentas de PNL para seu crescimento pessoal e profissional


Para celebrar seus vinte e cinco anos de trabalho com a Programação Neurolinguística – PNL, ciência que estuda o funcionamento de cérebro humano desde o instante em que ele capta as informações do meio ambiente, a psicóloga Deborah Epelman, uma das pioneiras em trabalhar com PNL no Brasil e fundadora da PAHC, Sociedade Brasileira de Programação Autoconhecimento e Comunicação, pensou em organizar um livro, com vários artigos, escritos por ex-alunos, mostrando como a PNL fez/faz diferença na vida deles e de seus alunos/clientes.
Curiosamente, mesmo tendo “convocado” seus mais de mil ex-alunos formados pelo instituto, e tendo feito uma criteriosa seleção dos que deveriam ser publicados, 25 textos foram os escolhidos para constar na coletânea FERRAMENTAS DE PNL - Profissionais da área abordam ferramentas de PNL para seu crescimento pessoal e profissional (Editora Leader, 272 p, R$ 59,50). A entrada de cada um dos textos, no livro, deu-se não em ordem alfabética do título ou do autor, e sim, por ordem cronológica, do mais antigo ao mais recente profissional de PNL.
Os artigos pontuam como a PNL pode ser empregada em diferentes áreas, além do desenvolvimento pessoal – sempre a primeira a ser lembrada – odontologia, educação, escolha e mudança de carreira, coaching e autocoaching, relações interpessoais, inteligência emocional, crenças e valores, criatividade, saúde, dublagem e até mesmo xamanismo, também fazem parte do amplo leque de possibilidades.

Com isso, em FERRAMENTAS DE PNL os autores abordam com clareza dicas e estratégias para uma aula dinâmica com foco na comunicação eficaz e na alta performance entre aluno e professor, não deixando fora do contexto as experiências e ações de importantes e renomados profissionais que agregam e utilizam, há anos, os mais eficientes métodos e técnicas praticadas na Programação Neurolinguística.

No prefácio, Robert Dilts – reconhecido mundialmente NPL University Santa Cruz, California, um dos pioneiros na prática e nos estudos da Programação Neurolinguística – diz que esta obra é “um esforço de colaboração excepcional, é também um exemplo de como a inteligência coletiva é a chave para o futuro da PNL. À medida que compartilhamos ideias e aplicações uns com os outros, estimulamos novas ideias e aplicações em outras áreas”.

Ana Beatriz Barbosa Silva e Andréa Duarte lançam livro no Rio de Janeiro

O livro Horizonte Vertical marca a estreia da autora best-seller Ana Beatriz Barbosa Silva na ficção. Escrito em parceria com a médica Andréa Duarte, a obra mescla ficção e realidade em um enredo intrigante, que discute o futuro do homem e as barreiras entre tempo e espaço. O evento de lançamento acontece na próxima segunda-feira (27/03), a partir das 19h, na Livraria Travessa do Shopping Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Advogado apaixonado por literatura, sobretudo, Cortázar e Kafka, lança seu primeiro romance

Carlyle Popp ambientou sua obra tendo Curitiba como cenário, cidade adotada por ele desde 1971

Acaba de chegar às livrarias a obra O senhor na minha história, primeiro romance de Carlyle Popp, autor catarinense, radicado em Curitiba desde o início dos anos 1970, conhecido nacionalmente nas letras jurídicas. A obra foi publicada pela Editora InVerso.

É um livro sobre protagonistas e coadjuvantes, amizade, amor e ódio. Sobre a constante busca da própria identidade, sobre a vida, o desejo e a morte. Tudo isso tendo Curitiba como pano de fundo.

Ao longo do texto, numa leitura fluida e prazerosa, o autor assevera se somos o protagonista da nossa existência ou, de maneira mais sutil e elegante, quem é o diretor de teatro da nossa vida? Se fazemos nossas escolhas livremente e se nos responsabilizamos pelas nossas ações ou ainda se vivemos à reboque dos acontecimentos, das circunstâncias e dos outros?


Assim, do início dos anos 1970 até o começo dos anos 2000, o protagonista trafega por Curitiba, onde passa sua infância, marcada principalmente por dois episódios: a geada negra de 1975 e a epidemia de meningite, eventos que se destacaram e que deixaram marcas na sua memória.

Os desafios da adolescência, o primeiro amor e suas amizades. Um herói domina sua vida e inaugura rupturas, alegrias e tristezas que consequentemente contaminariam sua vida adulta. Frustrações e o fardo de uma convivência fraterna transformada em ódio desfilam por todo o livro. Sua atividade como agente de viagem permite que a história tenha, também, Madri, Paris e Londres como cenário.

A dor o aliena, esvaziando sua existência. A tragicomédia passa a dominar este romance de formação até que, em suas páginas finais, a loucura passa à condição de personagem principal. Matar Salésio, antagonista de sua vida, transforma-se em desejo fundamental. Muitas tentativas até que, enfim, consegue. Teria ele realmente conseguido?

Em O senhor na minha história, Carlyle Popp cativa seus leitores e os deixa inquietos, vidrados nos hábitos e no comportamento dos personagens, que são muitos. Memória, realidade e ficção se envolvem no enredo. Virar a próxima página e o destino de cada um dos personagens impele a continuidade da leitura.
  

Sobre o autor:
Calyle Popp é homem de letras jurídicas. Advogado, professor em cursos de graduação e pós-graduação; Mestre em Direito Público pela UFPR e Doutor em Direito Civil pela PUC/SP. Sua experiência como advogado o fez descobrir que no Direito existe certa carga ficcional. Com isso, enveredou pelas trilhas do relacionamento entre o direito e a literatura.


Na ficção, coordenou e escreveu nas antologias Instruções à Cortazar: homenagem de cronópios, famas e esperanças (Juruá Editora, 2014) e Kakfa: uma metamorfose inspiradora (Juruá Editora, 2015). É membro do Instituto dos advogados do Paraná, da Academia Paranaense de Letras Jurídicas, do Conselho Editorial da Juruá Editora, do Instituto de Direito Privado e da Academia Luminescência Brasileira (ALUBRA). Luta para ser um cronópio, diretor de teatro de sua própria existência, embora reconheça não ser fácil. O senhor da minha história é seu primeiro romance.